Análise Bioenergética

Análise Bioenergética

O modelo psicoterapêutico da Análise Bioenergética desenvolveu-se a partir da psicanálise e tem origem nas teorias de Wilhelm Reich, discípulo e contemporâneo de Freud, que percebeu a importância de considerar o corpo do paciente, no sentido de aprofundar e libertar a respiração para melhorar e intensificar a experiência emocional.

Foi Alexander Lowen quem mais tarde consolidou e aprofundou o modelo, com um conjunto coerente de métodos e de técnicas alicerçados e de eficácia comprovada na prática clínica, de abordagem integrada, que procura compreender a pessoa não apenas no seu psiquismo, mas também na sua expressão corporal: a postura, os padrões de reação, as inibições a nível da mobilidade e a respiração, são manifestações que devem ser consideradas no tratamento.

Segundo a análise bioenergética, os sentimentos reprimidos provocam tensões musculares no indivíduo, que bloqueiam as emoções e afetam a relação consigo próprio e com os outros.

A Análise Bioenergética é utilizada para identificar as emoções bloqueadas do paciente, através da realização de exercícios e técnicas corporais.

Os exercícios da análise bioenergética ativam a energia e é através do fluir dessa energia que as emoções reprimidas no corpo são libertadas.


Existem três conceitos fundamentais para este modelo: a autoconsciência corporal, o grounding e a respiração.

  Autoconsciência Corporal

Consiste em auxiliar o paciente, através de exercícios corporais, para a perceção das contrações musculares até então inconscientes e, ao mesmo tempo, correlacioná-las com os estados emocionais. Esta consciência traz benefícios para um maior relaxamento muscular, mental e emocional.
Com um maior relaxamento muscular adquire-se automaticamente uma maior clareza mental e emocional, o que promove uma maior capacidade para harmonizar o pensamento, os sentimentos e as ações.

  Grounding

O grounding ou o "enraizamento", consiste na integração da energia vital no corpo todo, contrariando a ênfase excessiva na racionalidade, i.e., na concentração da energia na zona da cabeça. O paciente, é orientado para pensar, senti e agir “com os pés no chão”, reforçando o estar no presente, no aqui e agora.
O grounding promove a integração da energia, ligando corpo e psique, o que ajuda a reforçar a segurança e autoestima.


  Respiração

A respiração é essencial, já que corresponde ao primeiro ato vital do ser humano. A respiração sinaliza o nosso estado emocional. Por exemplo, quando uma pessoa se encontra triste ou deprimida, tende a respirar menos e, como consequência, o seu corpo é menos oxigenado e a pessoa sente-se mais cansada.
Na prática clínica da Análise Bioenergética, são propostos exercícios de respiração, aliados ao movimento, que permitem aumentar a capacidade respiratória para que a pessoa sintonize com as suas emoções e possa exprimir o que se encontra reprimido e está a gerar bloqueios na sua saúde física e emocional.
Os pacientes deste modelo psicoterapêutico, referem a importância de ter libertado a energia sequestrada pelas tensões musculares, melhorado a capacidade vibratória do corpo e de poder conectar-se com o desejo de viver, com satisfação e prazer.



A partir do ano 2000 a Análise Bioenergética passou a definir-se como uma psicoterapia somato-psico-relacional. Trata-se de um modelo psicoterapêutico que continua em permanente inovação através do trabalho que é desenvolvido em todo o mundo por centenas de psicoterapeutas, cuja matriz é o equilíbrio do corpo, da mente e das emoções.

Alexander Lowen trabalhou intensivamente mais de 50 anos com os seus pacientes e publicou 13 livros, à medida que ia fazendo as suas descobertas clínicas. Nascido em 23 de dezembro de 1910, faleceu aos 97 anos, em 2008.

Psicólogos da Especialidade Análise Bioenergética

Terapeuta Psicologia Clinica Joana Garcia da Fonseca

Joana Garcia da Fonseca